« Home | Ele há coisas! » | Memórias » | 5 Novembro 1975 » | Cartas » | Conversas reais I » | 10 coisas simplesmente boas da vida » | Chuva » | Recordações » | Mundos » | A sério?! » 

quarta-feira, novembro 09, 2005 

O maior espectáculo do mundo


Sempre gostei de futebol. Acho mágico todo o ambiente que se vive no estádio – as emoções, as alegrias, as frustrações e as contradições. É impossível explicar a alguém que não gosta, a razão desta “paixão” algo irracional. Por vezes perguntam-me: “como é possível gostares de futebol?” ou então mostram surpresa por haver quem fique triste com os maus resultados do seu clube. Também o comentário “são só 22 homens a correr atrás de uma bola. Que seca!”, faz-me pensar que, possivelmente também por ser um jogo aparentemente tão simples, é que desperta tanto interesse. O “jogo da bola” desperta paixões desde que se começa a conseguir andar. De jogar, nunca gostei, mas ver, quer na televisão, quer, principalmente, no estádio, é fantástico e inexplicável. Não se consegue descrever a emoção no momento de um golo! No estádio sentimos que fazemos parte da equipa, nas vitórias e nas derrotas. É por tudo isto e também por ter sido bafejada pela sorte que sou do Benfica!

De facto, assistir a um jogo num estádio é um espectáculo sem comparação. Fico de tal forma envolvido pelas ocorrências do jogo que, por vezes, dou por mim a dar indicações aos jogadores, como se eles me vissem... (em suma, um verdadeiro treinador de bancada...).
E quando há golos, só me falta percorrer a bancada inteira aos saltos, e faço sempre um esforço para não sair do meu lugar.

Já agora, jogar futebol, ainda que seja por "piada", é algo que também me dá um grande prazer, e mesmo que por gozo, ajuda a compreender um pouco o que se passa com os jogadores profissionais nos jogos, sobretudo se alguém (que pode até ser o melhor amigo) tiver tendência para ânimos exaltados... Na verdade, mesmo em jogos entre amigos ninguém gosta de perder...

Ah, e também tenho pena dos que não têm o privilégio de ser do Benfica!

Ah, ver um jogo no estádio da luz...
É uma jogada de perigo, as pessoas sentadas à frente começam a levantar-se, claro que para que eu possa ver a jogada tenho de levantar-me também e de repente... GOLO! Estender os braços e gritar, pegar atabalhoadamente no cachecol e agitá-lo por cima da cabeça! Mas com o cuidado suficiente para não acertar com ele em alguém, como já me aconteceu...

Quanto a jogar, também adoro! É uma sensação incrível, encher o pé e ver a bola aninhar-se no fundo das redes.

Lembro-me de ser muito miúdo e de achar que o futebol era uma chatice. Depois, com oito anos, vi na TV uma final da Taça de Portugal, em que o Benfica venceu o Porto por três a um com três golos do Nené. Já gostava do Benfica (era onde vivia), mas quando vi o Nené abraçado ao Baroti a chorar, o Benfica ficou no meu coração para sempre, e o Nené ficou o meu ídolo. A partir daí o futebol nunca mais foi uma chatice.

Depois, com onze anos, fui pela mão do meu avô (um sportinguista) ao estádio de S.Luís, em Faro, ver o Benfica jogar contra o Farense. Apesar de sportinguista, o meu avô gostava de bom futebol, e quis satisfazer o meu desejo como benfiquista de ver a minha equipa ao vivo. Foi a primeira vez que entrei num estádio de futebol, e fiquei estasiado ao ver os meus ídolos tão pertinho de mim. Era uma sensação quase surreal, como se fosse surpreendente que afinal aqueles jogadores eram pessoas reais, e não mitos. Ainda por cima o Benfica ganhou 7-2, e o meu ídolo Nené marcou uma data de golos.

Esse dia marcou o início da minha paixão por futebol ao vivo, no estádio. Se tenho a possibilidade de ir ao estádio, nunca opto por ver na TV. Mais de trezentos jogos depois, a paixão renova-se de cada vez que fecho a porta de casa, componho o cachecol, e me ponho a caminho do estádio.

'extasiado', e não 'estasiado, obviamente... ;)

Quando era pequena pensava que todas as pessoas eram do Benfica. Achava que não havia ninguém do Sporting. O Porto nem sabia que existia. E isto é mesmo verdade! Acreditava piamente que assim era!

Anita, o teu pensamento de infância não foge muito à realidade: há o Benfica e há o anti-benfica. O resto é residual...

Benfica e mai nada!

Beijos

Segundo zUm

Very cool design! Useful information. Go on!
»

Best regards from NY! film editing schools

Enviar um comentário

Links para este post

Criar uma hiperligação